Turma da Mônica Jovem 8 conclui o arco Brilho de um Pulsar

20

Desde a crítica sobre a primeira parte da saga Brilho de um Pulsar venho admirado com a qualidade das histórias. De enredos fracos e reiterativos sobre o crescimento dos personagens, as HQs da Turma da Mônica Jovem passaram a retratar personagens que realmente se parecem adolescentes e diferentes de suas versões infantis. Dos antigos personagens os que mais tiveram atenção foram Franja e Mônica, sobre os quais falarei.

Franja e a violência

Franja esteve dividido entre sua devoção por uma figura do Astronauta e a aceitação dele da maneira como se apresentava no dia-a-dia: um homem austero, violento e distante. Esse dilema gerou diversos bons diálogos, sobre violência e usos da ciência e nesse número o conflito termina de maneira que não esperava. O Franja dá uma lição de inteligência para o Astronauta, ao analisar conceitos de gravitação, e percebe que a violência é importante para se manter a paz e para se defender. HQs que tocam nesse tipo de discussão criando uma dicotomia inteligência (paz) X violência (guerra) esquecem que na verdade esses conceitos andam de mãos dadas. Isso foi bem demonstrado em TMJ 8.

A violência, por sinal, foi elemento constante nessa saga. Pelo menos por três vezes Mônica foi eletrocutada, para se ter um exemplo. Esse enfoque nas agressões físicas foi privilegiado por desenhos muito bons. Ao contrário de TMJ 2, 3 e 4, quando aconteceram aventuras nada violentas, essas últimas edições souberam referenciar melhor as cenas de ação dos animes e mangás. Além dos inimigos estarem mais detalhados e imponentes (é só lembrar que a turma já enfrentou porquinhos fofos em TMJ 2), há mais linhas de movimento nas cenas, melhor uso do preto para dar profundidade ao quadro, maior expressividade facial dos personagens (basta olhar Mimi e Mônica, nas páginas 35 e 52, lembrando o lunático Fei de Xenogears), presença de onomatopéias ocupando dinamicamente os quadros, densidade dos cenários e até mesmo uso de requadros partindo de pontos grotescos desses ambientes (ver página 11). Enfim, as doses de violência e  de ação estão muito boas.

Exemplo de onomatopéia ocupando espaço dos quadros

Exemplo de onomatopéia ocupando espaço dos quadros

Mônica e a maturidade

Já a Mônica se transformou em outra Mônica. Talvez a única semelhança dela com a personagem infantil seja sua persistência em resolver seus objetivos, porque somos apresentados a uma garota que largou muitos de seus hábitos infantis e amadureceu rapidamente para questões adultas. Apesar de algumas inseguranças, Mônica revela ser ciente de sua sensualidade – e sabe como usá-la muito bem (ver página 120) – tem determinações bem construídas em sua personalidade, sabe ponderar diante de escolhas difíceis e aconselhar os amigos. Dessa maneira, conquistou o amor e admiração de Cebola, que ao invés de planejar com Cascão alguma estripulia contra a amiga, fica impotente ao vê-la tão corajosa diante das situações que enfrenta. Creio que TMJ 8 coroa a transição de amadurecimento que começou em TMJ 1, de maneira que agora a Mônica é praticamente uma adulta (compare a Mônica da capa dessa edição, acima, com a da segunda edição… Parece que mais alguns anos se passaram entre uma turma e outra).

E a maturidade se encontra em outros personagens, principalmente nos antagonistas. Ao contrário do Poeira Negra – ops, Capitão Feio – os vilões não eram absolutamente maus, pelo contrário, tinham razões bem concretas para suas lutas. Esses motivos foram explorados pelas perspectivas da Turma e dos próprios vilões, o que possibilita que se compreenda tanto as motivações de Mimi quanto de Mônica durante o confronto das duas. Creio que uma pesquisa de popularidade dos personagens mostraria isso muito bem. Até mesmo o aterrador Lorde Kamen possui um momento para lutar e cessa de usar a violência logo que cumpre seu objetivo. Creio que esse arco é uma prova de que as histórias poderiam ter sido maduros desde o começo – uma das maiores críticas que fiz – e continuar agradando os fãs. Os jovens não são tolos e bons moços, muito pelo contrário.

Lorde Kamen, em um dos desenhos mais belos da HQ

Lorde Kamen, em um dos desenhos mais belos da HQ

Uma boa aposta

Marcelo Cassaro foi uma ótima escolha da Maurício de Sousa Editora. A ele parece ter sido dado muita liberdade para escrever a HQ, pois nota-se a evolução dos personagens. Um outro motivo foi o gênero da história, a ficção científica, no qual Cassaro é mestre, sabendo dar toques certeiros de desenvolvimento de personalidade e da necessidade ação na HQ.

A aposta em Cassaro e na maturidade dos personagens foi bem acertada. Não quero assim dizer que as características adultas dos personagens sejam superiores sobre as infantis, mas são elementos essenciais para marcar algum tipo de diferença entre a turminha original e essa turma jovem. A violência mais realista também, uma vez que traz agora a responsabilidade por cada ato de agressão que os jovens cometam.

TMJ 8 fecha um ciclo onde os personagens da turminha encarnam praticamente todas as idéias reveladas por Maurício em algumas entrevistas. E que o retorno às histórias do dia-a-dia mantenham o nível!

Choques e mais choques marcaram a passagem da turminha para um mundo mais adulto e violento

Choques e mais choques marcaram a passagem da turminha para um mundo mais adulto e violento

P.S.: veio um card como brinde da edição, mas muito provavelmente não jogarei o card game da TMJ. Se alguém o fizer, comenta sobre como ele é. Me pareceu bem pobre em termos de regras.

9 respostas para Turma da Mônica Jovem 8 conclui o arco Brilho de um Pulsar

  1. lararariróró disse:

    o Mauricio de Souza anda te pagando é? toma vergonha na cara, vc esta elogiando um roteirista que criou um anjo corinthiano 100% prostituto!!!

  2. […] é o melhor personagem da Saga Brilho de um Pulsar? Aproveitando a deixa do último post, lanço a enquete para saber qual é melhor personagem do arco. Votem! View […]

  3. carmem disse:

    nem de longe pricesa mimi ganha da mainca sem chanse

  4. carmem disse:

    e sim a monica é apaixonada por cebolinha eu discobri que eles vão ser namorados no desenho e no gibi

  5. silvana disse:

    A Mônica sempre foi apaixonada pelo Cebolinha da para perceber que o amor está no ar eles foram feitos um para ooutro eles se amam e seus coraçoes estam crudados

  6. kethely disse:

    são legais os quadrinhos!!!

  7. Larissa disse:

    A turma da mônica jovem é uma droga!!!
    Nem é mangá!!!!!!!!!!!!!1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: