Eles cresceram! – A vez da Luluzinha

30/05/2009

4470_luluzinha

Depois do estirão da Turma da Mônica Jovem, é a vez da Turma da Luluzinha. Reproduzo abaixo texto do Blog dos Quadrinhos:

“Depois da Turma da Mônica Jovem, mais uma personagem das histórias em quadrinhos infantis chega a adolescência. É a Luluzinha que, a partir do mês de junho, estará nas bancas como “Luluzinha Teen e sua Turma”.

Como acontece com a turma do Maurício de Sousa, as histórias com a versão adolescente de Luluzinha também serão publicadas em estilo mangá. A personagem será lançada pela Pixel, um dos selos editoriais da Ediouro, e será produzida por autores nacionais.

Na nova versão, Luluzinha terá em torno de 15 anos. Ficará esbelta e manterá parte dos cachinhos, uma das marcas da personagem norte-americana. Bolinha por sua vez ficará magro. As histórias serão contadas em capítulos, tal qual ocorre nos mangás. A cantora Pitty faz uma participação especial na edição de estreia.

A Pixel tinha como carro-chefe as revistas da linha adulta da norte-americana DC Comics. A editora carioca rompeu o contrato neste ano e não lança nada desde janeiro. A ideia se assemelha muito ao projeto “Turma da Mônica Jovem”, feito pelos Estúdios Mauricio de Sousa, e não é difícil saber o porquê. Desde que foi lançada, a revista com a versão adolescente de Mônica, Cebolinha e companhia tem tido boa repercussão, tanto na mídia como de vendas.

Luluzinha estreou no Brasil em revista própria, publicada pela editora de O Cruzeiro no fim da década de 1950. Mas muitos leitores ainda a veem como personagem da Abril. A editora paulista publicou por anos a revista da personagem de vestido vermelho. O título foi cancelado na primeira metade da década de 1990.

Em 2006, a Devir “ressuscitou” a personagem. A editora republicou as primeiras histórias dela feitas por John Stanley a partir de 1945, dez anos depois da criação dela. A Devir lançou desde então seis álbuns e programa mais dois para este ano. Segundo a editora, os direitos de publicação estão mantidos, mesmo com a entrada da Ediouro.”

Luluzinha versão teen

Luluzinha versão teen

A Turma da Luluzinha Jovem irá de confronto direto com a Turma da Mônica Jovem, já que atinge o mesmo público. Para ver resenhas da Turma da Mônica Jovem, clique nos links:

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/04/14/turma-da-monica-jovem-8-conclui-o-arco-brilho-de-um-pulsar/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/03/25/artigo-de-analise-da-turma-da-monica-jovem/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/03/17/turma-da-monica-jovem-7-consolida-trama-de-ficcao-cientifica/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/02/05/turma-da-monica-jovem-6-da-uma-guinada-rumo-ao-espaco-e-a-boa-qualidade-das-historias/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/01/10/turma-da-monica-jovem-5-decepciona-ao-abordar-o-cotidiano-do-adolescente/



Marcha da Maconha em quadrinhos vence no Expocom Nordeste

22/05/2009

A reportagem em quadrinhos “A marcha da maconha” (veja aqui), publicada na Revista Fraude #6, foi campeã no Expocom Nordeste que aconteceu entre 14 e 16 de maio, em Teresina, Piauí. A reportagem, produzida pelos alunos do curso de Jornalismo Marcelo Lima e Marcel Ayres, juntamente com a aluna do curso de Produção Cultural Hortência Nepomuceno concorreu na categoria Áreas Emergentes, modalidade Quadrinhos.

O quadrinho foi produzido a partir da experiência dos repórteres na Marcha da Maconha, realizada no dia 4 de maio de 2008 e teve como objetivo utilizar a narrativa quadrinhística para mostrar por diferentes ângulos as reivindicações do usuários de maconha e relatar os fatos ocorridos durante a movimentação. A revista Fraude é um produto laboratorial realizado pelo grupo PETCOM – Programa de Educação Tutorial da Faculdade de Comunicação da UFBA.

A etapa regional do Expocom tem caráter seletivo para a etapa nacional, que acontece entre os dias 4 e 7 de setembro, em Curitiba. Ambas etapas são organizadas pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação – INTERCOM.

Veja o resultado completo do Expocom aqui.

A Fraude #6 está aqui.


Editais da Fundação Pedro Calmon têm resultados previstos para junho

20/05/2009

Oh my, oh my, prosseguem as incertezas sobre o projeto Quarto ao Lado:

Os editais lançados em novembro e dezembro de 2008, pela Fundação Pedro Calmon/Secult tiveram seus prazos de resultado prorrogados para o mês de junho. A extensão se dá por conta do aumento do prazo oferecido quando do período de inscrição, além do volume de projetos recebidos. Os resultados serão publicados no Diário Oficial do Estado, no site da Fundação e da Secretaria de Cultura, além disso, todos os proponentes serão avisados, via e-mail e telefone, informa a Comissão de Editais da FPC.
Das 270 inscrições recebidas pela Fundação Pedro Calmon, resultaram 233 projetos habilitados, após fase de validação de documentação. A partir de agora, segue prazo para a comissão avaliar os projetos de acordo com os critérios estabelecidos pos cada um dos editais e determinações quanto à aprovação dos projetos finais.
São cinco editais de apoio à literatura baiana (apoio à editoras para edição de coleção de livros, edição de livros de autores baianos, pesquisas para criação literária, bibliotecas comunitárias, e incentivo à leitura), e dois editais artístico-culturais que disseminem as culturas negra e LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros). Estes contam com o apoio da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade (Sepromi) e da Secretaria Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), além da Fundação Cultural do Estado (FUNCEB)

Fonte: http://www.fpc.ba.gov.br/fpceditais/editais/index.html


Análise da HQ Turma da Mônica Jovem no Sessões Científicas

20/05/2009

Acontece nesta segunda-feira, dia 25, o Sessões Científicas do mês de maio. O bolsista PET João Araújo apresentará o artigo “Estratégias discursivas do “Eles cresceram!”: Análise da representação da juventude nas HQs da Turma da Mônica Jovem. O artigo analisa a representação da juventude na edição #1 dos quadrinhos mensais da Turma da Mônica Jovem. O artigo discorre primeiramente sobre questões históricas e teóricas dos quadrinhos, com especial ênfase no estilo mangá, sobretudo no Brasil. Em seguida, são abordadas questões relativas às representações e à juventude, em interseção com aspectos identitários. Por fim, o trabalho procede à análise a que se propõe, da qual conclui que a representação da juventude nessa HQ evoca normas que remetem a uma juventude consumista e contribui para a manutenção de estereótipos e relações de poder, sem, contudo, deixar de suscitar questionamentos interessantes e apresentar identidades fragmentadas.

O projeto Sessões Científicas é produzido pelo PETCOM, o Programa de Educação Tutorial da Faculdade de Comunicação da UFBA. Realizado mensalmente na Facom, o Sessões é um evento aberto ao público e busca apresentar as pesquisas individuais dos bolsistas PET à comunidade acadêmica.

O artigo completo pode ser acessado AQUI!

O quê: Sessões Científicas com apresentação do artigo “Estratégias discursivas do “Eles cresceram!”: Análise da representação da juventude nas HQs da Turma da Mônica Jovem”

Quando: 25/05 (segunda-feira), às 11h.

Onde: Sala 1, Facom/UFBA.

sessoes_joao_3


Revista Fraude convida-o a colaborar em sua sétima edição

18/05/2009

A equipe da Revista Fraude convida artistas visuais para participarem da sua sétima edição. Dando continuidade à aproximação com as artes visuais iniciadas na Exposição Fraudes Visuais do ano passado, a Fraude publicará material de artes visuais (grafite, ilustração, história em quadrinhos, colagem, pintura, fotografia, xilogravura, dentre outras) que se enquadre em algum dos três eixos temáticos sugeridos abaixo:

  • Publicidade de produtos inexistentes – Crie a publicidade de um produto imaginário. O produto pode ser descrito textualmente, pois o principal foco é explorar como ele é divulgado. Pode-se criar imagens de outdoors, camisas, toy arts, aquilo que o artista considerar pertinente para a divulgação de seu objeto imaginário.

  • 40 anos de Stonewall – “A Rebelião de Stonewall foi um conjunto de episódios de conflito violento entre gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros e a polícia de Nova Iorque que se iniciaram com uma carga policial em 28 de Junho de 1969 e duraram vários dias.(…) Stonewall foi um marco por ter sido a primeira vez que um grande número de gente LGBT se juntou para resistir aos maus tratos da polícia para com a sua comunidade, e é hoje considerado como o evento que deu origem aos movimentos de celebração do orgulho gay.” Produzir artes relativas ao conflito de Stonewall e as identidades LGBT como um todo.

  • Restos-Mensagens – Estamos, constantemente, nos deparando e desmembrando mensagens curtas, sem destinatário específico, procurando atingir algum humano genérico. Esses rastros ficam espalhados em portas de banheiro, paredes, papeizinhos e várias outras superfícies onde se pode escrever ou desenhar. Nos fragmentos do mundo contemporâneo, talvez, há instigantes doses de significado e mistério, espalhados nesses pequenos objetos/marcas nem tanto descartáveis assim.

A seleção das obras será feita pela equipe da revista, que tomará como princípios de julgamento a criatividade, a técnica e a correspondência entre ambos elementos. As artes a serem enviadas podem estar em P&B ou colorida, mas  dispomos de apenas uma página para trabalhos coloridos, o que implicará, se necessário, numa segunda seleção por parte da redação da revista. Aos interessados mandem seus trabalhos ou entrem em contato através do email: marcelocaterpillar@gmail.com Receberemos trabalhos até o fim de agosto, em formato A4 e  salvos em resolução mínima de 300 dpi.

A Revista Fraude é produzida pelo grupo PETCOM da Faculdade de Comunicação da UFBA, possui tiragem de 1500 exemplares e é distribuída para redações de vários jornais do país, além de atingir quase toda as faculdades de Comunicação do país. Recentemente, foi contatada pelo Le Monde Diplomatique São Paulo para permitir que conteúdos da revista fossem publicados em sua versão online. Para saber mais sobre a Revista Fraude, acesse o blog www.revistafraude.blogspot.com, onde é possível ler todas as edições publicadas.


Marcelo Lima,
Redação Revista Fraude
71 8870 2445
https://roteirizandohq.wordpress.com

Semeando Lucas da Feira II – Conversa com Marialvo Barreto

08/05/2009

Quadro de Lucas

Quadro de Lucas

Dei uma parada nas postagens sobre Lucas da Feira, mas isso não quer dizer que o projeto está parado. Longe disso, eu e Marcos avançamos mais um tanto – e foi um tanto bem significativo.

No mês de abril conversamos com mais um conhecedor da história de Lucas da Feira, dessa vez o professor e vereador Marialvo Barreto. Estivemos em sua casa numa noite poucos dias antes da sexta-feira santa e fomos recebidos agradavelmente com café e torradas. Logo, passados os momentos iniciais de apresentação, eu e Marcos vimos o que procurávamos: a dissertação de Mestrado Lucas Evangelista: o Lucas da Feira. Um estudo sobre a rebeldia escrava em Feira de Santana, da professora Zélia Lima. Como o professor possuía apenas uma cópia, nós a folheamos o máximo que pudemos.

Uma das riquezas desse material é a reconstituição da época em que Lucas viveu. Naquela época muitas cidades tinham nomes diferentes como Ipirá que se chamava Vila de Santana do Camisão; na maneira de falar predominava um regionalismo vocabular bastante acentuado e distante da fala cotidiana praticada pelos feirenes. Preservamos, ainda com alguma força, o sotaque daquela época. Também a dissertação apontava para a visão histórica da criminalidade e dos poderes público e privado daquela época, como foi discutido com o professor Clóvis Ramaiana e reportado em post anterior.

A conversa foi bastante importante por reforçar a necessidade de apresentar traços materiais no desenho de Lucas que reportassem seu poder e, ao mesmo tempo, sua submissão a uma sociedade  racista. Assim, é cada vez mais importante mostrar como ele se apropria dos símbolos de seus donos para conseguir sua liberdade – da vestimenta aos hábitos alimentares.

O professor Marialvo colocou uma questão polêmica: Lucas poderia ter executado diversos crimes contra o povo por mando dos coronéis e dirigentes do poder da época. Assim, era mantido livro da cadeia e enriquecia os poderosos. Visão que não é compartilhada pelo professor Clóvis, que nos disse que não conhece nenhuma história de um bandido-arquivo que tenha permanecido vivo por tanto tempo na cadeia como aconteceu com Lucas a partir do momento em que foi preso. Ainda não sabemos como iremos representar, se realmente for representado, uma possível relação de cumplicidade entre Lucas e os poderosos de sua época.

Após as importantes discussões desse dia, que terminaram recaindo sobre a geografia de Feira e região, eu e Marcos começamos a escrever o roteiro do quadrinho e estamos na página 30. Postarei alguns excertos no próximo post.

P.S: Muito obrigado Marialvo, assim como Clóvis, Jairo e todas as pessoas que estão viabilizando a criação desse álbum.

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/03/01/o-que-voce-sabe-sobre-lucas-da-feira/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/02/10/recontando-feira-de-santana-em-quadrinhos/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/02/17/manu-chao-lucas-da-feira-cultura-lgbt-e-gerundio-novidades-pre-carnaval/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/02/03/2009-e-os-quadrinhos/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/01/09/terradeluca/

https://roteirizandohq.wordpress.com/2009/03/21/semeando-lucas-da-feira-i/


Gerúndio no PopArte

05/05/2009

A primeira tirinha do personagem Gerúndio, criado por mim e Duke saiu no blog sobre arte e mídia Pop Arte, de meu amigo Marcel. A tirinha está abaixo e também pode ser acessado no link http://poparte.wordpress.com/2009/05/05/gerundio-o-adolescente-bipolar/. Aproveitem para dar uma olhada no blog de Marcel, têm muitos posts que valem a pena como o de uma teoria sobre o possível final de lost e um texto sobre Alternate Reality Games (ARGs).

Gerúndio é um garoto bipolar com crises radicais, que é representado de maneira politicamente incorreta em suas aventuras. É uma HQ sem pretensões humanitárias, mas que fala sobre humanidade.

123